Profile
Raça originária das ilhas Shetland, no norte da Escócia. Ao contrário do que muitos pensam não é uma miniaturização do Collie, sendo apenas aparentado com este. Acredita-se que a raça tenha se formado através de cruzamentos envolvento o collie, o cão dos baleeiros da Groenlândia, o “yakin” islandês e cães tipo spitz. É possível que o border collie também tenha feito parte da formação da raça.
 
Além das diversas raças que provavelmente entraram na formação do pastor de Shetland, a seleção natural, sofrida no ambiente gelado e inóspito das ilhas Shetland, foi fundamental para o desenvolvimento da raça como a conhecemos hoje. Seu tamanho reduzido se deve ao fenômeno de “miniaturização insular” que faz com que espécies nativas de ilhas sejam menores que as espécies similares nativas de continentes. Quanto menor e mais isolada a ilha menores as criaturas que habitam nela. As ilhas Shetland, são conhecidas por serem o lar de diversas espécies pequenas como os poneis Shetland, considerados a menor raça de cavalo existente atualmente, além de outras espécies como ovelhas e vacas miniaturizadas.
 
Os pastores de Shetland, apelidados de “Shelties” pelos seus adimiradores, são cães alegres e vivos, considerados extremamente inteligentes e obedientes (6º colocado no ranking de inteligência canina de Stanley Coren). São grandes pastores e são uma das raças que mais se destacam em provas de pastoreio e agility. É vigilante e alerta, além de ladrador e desconfiado com estranhos o que o faz um bom cão de guarda de alarme. Seu temperamento é doce e manso, muito protetor com os membros da família de maneira a ser uma excelente companhia para adultos e crianças desde que possa dispor de exercícios e distração (brincadeiras, treinos, passeios), ou podem se tornar entediados e destrutivos e conseqüentemente desenvolverem maus hábitos. É um cão carinhoso, relativamente dependente do dono e que gosta da companhia da famíla.
 
A pelagem majestosa dos Shelties costuma assustar futuros donos mas não requer muitos cuidados especiais. Os donos devem se preocupar com a escovação do pêlo (2 vezes por semana, aumentando a freqüência no período de muda ) para retirar pêlos mortos e evitar a formação de nós. A pelagem típica do pastor de shetland não é propensa a formação de nós mas se deixado sem cuidados, nós podem se formar. Como em todas as raças de pequeno porte, a escovação dos dentes para evitar a formação de tártaro deve ser observada. Banhos muito frequentes devem ser evitados e nunca se deve deixar este cão se secar sozinho, secadores são necessários devido a pelagem muito densa que não permite que o sub-pêlo seque completamente, se deixado para secar por conta própria, o que pode causar o aparecimento de fungos.
 
Esta raça está sujeita à incidência de atrofia progressiva da retina, um problema genético que pode ser evitado com uma escolha consciente do filhote e dos pais da ninhada.